Condicionador de ar split Fabricantes e institutos de pesquisa de vários países vêm testando uma vasta lista de misturas emergentes alternativas ao fluido refrigerante R-410A no mercado de climatização | Foto: Shutterstock

 

A disputa entre os fluidos refrigerantes de menor potencial de aquecimento global (GWP, na sigla em inglês) que substituirão o R-410A no mercado de condicionadores de ar estacionários segue acirrada mundo afora.
Devido ao fato de ser inofensiva à camada de ozônio, essa mistura à base de hidrofluorcarbonos (HFCs) passou a ser amplamente utilizada, a partir dos anos 1990, em sistemas de ar condicionado e bombas de calor.
Particularmente, o R-410A foi desenvolvido para substituir o hidroclorofluorcarbono (HCFC) R-22 em novos sistemas de climatização. Por isso, os aparelhos com R-410A são facilmente encontrados em qualquer loja hoje em dia.
No entanto, em função das diretrizes de sustentabilidade da Emenda de Kigali ao Protocolo de Montreal e a consequente regulação do consumo de gases com potencial de contribuição para o efeito estufa, as empresas já vêm estudando alternativas ao R-410A e desenvolvendo projetos de equipamentos mais eficientes, visando atender o cronograma de redução previsto no acordo e as políticas nacionais definidas por seus signatários.
Países desenvolvidos, como os da Europa, já estabeleceram um calendário de redução de consumo de gases de alto efeito estufa na indústria, enquanto os países em desenvolvimento, como é o caso do Brasil, ainda discutem a implantação de medidas semelhantes, o que deixa espaço para a permanência do R-410A nesses mercados.
Atualmente, fabricantes e institutos de pesquisa de vários países vêm testando uma vasta lista de misturas emergentes alternativas ao R-410A, como o R-444B, R-446A, R-447A, R-447B, R-452B, R-454A, R-454B, R-455A, R-459A e R-511A.
Todas essas opções são potencialmente viáveis para uso em muitos tipos de sistemas de climatização, conforme salienta o Relatório com Informações sobre Tecnologias/Equipamentos de Baixo GWP para Ar Condicionado Residencial, do Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs (PBH).
Nos EUA, nove marcas de condicionadores de ar já anunciaram a adoção do R-454B como solução de longo prazo para seus equipamentos.
Entre elas está a Carrier, que utilizará o novo fluido refrigerante em condicionadores de ar residenciais e comerciais leves vendidos na América do Norte a partir de 2023.
A Johnson Controls também anunciou a adoção dessa solução para sua plataforma de chillers scroll York YLAA distribuídos na Europa, com capacidade entre 190 kW e 530 kW.
Comercializada pela Chemours sob a marca Opteon XL41, essa mistura levemente inflamável (A2L) à base de hidrofluorolefina (HFO) oferece o equilíbrio ideal de propriedades termofísicas para substituir o R-410A em aplicações com deslocamento positivo, condicionamento de ar com expansão direta, bombas de calor e chillers, conforme ressalta o fabricante.
A indústria química americana revela ainda que o novo membro da sua linha de HFOs foi especialmente concebido para permitir que as fábricas o adotem sem exigir grandes modificações nos projetos de seus ares-condicionados, sendo o único fluorproduto do mercado com um GWP abaixo de 500 que possui propriedades e desempenho similares aos do R-410A.
De acordo com o Quinto Relatório de Avaliação (AR5) do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), o GWP do R-454B é 78% menor que o do R-410A e 31% menor que o do R-32, cujo uso como substituto do R-410A tende a ficar restrito no médio prazo, devido a seu GWP de 677.
Segundo a Chemours, o Opteon XL41 oferece capacidade de refrigeração semelhante à do R-410A com eficiência energética aprimorada (até 5%, dependendo do projeto e das condições do sistema), e suas temperaturas de descarga são muito mais próximas das do R-410A que as do R-32.
“Temos visto um aumento acentuado do interesse do setor pelo Opteon XL41, porque ele é uma solução de longo prazo em face dos requisitos regulatórios existentes e futuros relacionados à redução de HFCs [de alto GWP]”, diz a gerente de marketing de fluorquímicos da Chemours no mercado norte-americano, Allison Skidd.
Para o vice-presidente global da área, Diego Boeri, o produto “é um excelente exemplo de como o nosso portfólio Opteon traz valor aos nossos clientes e ao mercado”.