Grandes players da indústria de aquecimento, ventilação, ar condicionado e refrigeração (HVAC-R) reportaram quedas significativas em suas vendas no segundo trimestre, em função da mais grave emergência sanitária da história contemporânea.
O balanço da Trane Technologies, que formalmente separou seus negócios comerciais e residenciais de aquecimento e refrigeração, controles de edifícios e transporte refrigerado da Ingersoll-Rand no início de março, mostra que as vendas da empresa caíram 13% em relação ao mesmo período do ano passado, totalizando US$ 3,1 bilhões.
“A pandemia da covid-19 continua a apresentar ao mundo desafios complexos e grande incerteza à medida que avançamos em 2020”, disse Mike Lamach, presidente e CEO da companhia.
Já a Carrier registrou US$ 4 bilhões em vendas no segundo trimestre, uma queda de 20% em relação ao mesmo período de 2019.
Apesar da forte retração, a Carrier viu a demanda melhorar à medida que o segundo trimestre avançava e a atividade econômica recomeçava mundo afora.
“Nossos resultados do segundo trimestre excederam nossas expectativas e nossa equipe continuou a ter um bom desempenho em um ambiente muito desafiador”, disse o presidente e CEO da Carrier, Dave Gitlin.
“Ficamos satisfeitos com o aumento de pedidos em junho, principalmente na América do Norte”, acrescentou.
As vendas da Johnson Controls, outro player relevante do mercado de climatização e controles prediais, somaram US$ 5,3 bilhões no último trimestre, uma queda de 17% na comparação com o ano anterior.
Apesar disso, George Oliver, presidente e CEO, disse que as ações decisivas tomadas para controlar os custos desde o início da pandemia resultaram em benefícios significativos no trimestre.
“Embora as condições de mercado permaneçam incertas e a visibilidade ainda seja um pouco limitada, estamos bem posicionados com fundamentos operacionais aprimorados, um forte balanço e fluxo de caixa e uma posição de liderança em soluções inteligentes e sustentáveis”, afirmou.

 

 

Fonte: Revista do Frio