Apesar dos modelos atuais de ar-condicionado serem cada vez mais modernos e potentes, com tamanho e design mais leves, os aparelhos do século passado – assim como os outros eletrodomésticos – possuíam um funcionamento mais lento e portavam um visual mais pesado. Ao invés dos Splits, muito presente nas residências de hoje, era o modelo Janela que reinava para refrigerar o meio ambiente dos usuários.

Para ilustrar melhor isso, selecionamos algumas fotos e vídeos de comerciais de TV para representar como era o ar-condicionado antigamente:

O invento do condicionador de ar trouxe uma grande satisfação para as famílias da época

 

Marilyn Monroe foi uma das adeptas da ideia. Essa é uma foto publicitária de 1955

O compressor é o “coração” de um sistema de refrigeração. Sua função é bombear o fluido refrigerante que circula por todo o sistema ora no estado líquido, ora no estado gasoso. No processo de resfriamento de uma geladeira, por exemplo, o compressor recebe fluido na forma de gás do evaporador, e promove o bombeamento desse gás até o condensador, aparelho que torna a liquidificar o fluido e dissipar o calor do sistema.

Os compressores são empregados na refrigeração comercial, que compreende produtos de resfrio de alimentos e bebidas em estabelecimentos comerciais.

Abaixo tabela de similaridades dos compressores Dorin, Bitzer e Bock:

Tabela de Similaridades de Compressore

s

Setor está se renovando e passando por várias transformações.

Mudanças no comportamento do consumidor e na legislação, somadas à necessidade de reduzir custos e buscar uma postura voltada para sustentabilidade, trazem novos desafios e oportunidades.

Um dos segmentos mais importantes na refrigeração comercial é o de supermercados, que contam com grandes áreas dedicadas a produtos perecíveis e que necessitam de refrigeração: dos congelados aos resfriados.

 

É um setor muito dinâmico e que está em constante evolução, acompanhando o que acontece na sociedade e adaptan

do-se às transformações econômicas e às exigências da legislação. No momento, três grandes eixos de mudança afetam esses estabelecimentos, com impacto direto na forma como a refrigeração é usada neles. Entenda-os, para saber como você também pode se adaptar.

 1 – Novos formatos de loja. Diferentes dos convencionais super e hipermercados aos quais


2- Utilização de fluidos refrigerantes naturais em substituição aos refrigerantes sintéticos.
 Em função de novas regulamentações e da maior conscientização ambiental da sociedade, a utilização de refrigerantes como propano (R290) e CO2(R744) vem se tornando mais frequente. O propano é indicado especialmente para sistemas de menor porte, já começa ser aplicado em soluções de Racks em casas de máquinas e já é muito utilizado em equipamentos incorporados, enquanto o CO2 começou a ser utilizado há algum tempo em grandes instalações, principalmente em sistemas sub-críticos em casas de máquinas remotas, sistemas estes igualmente seguros, desde que seguidas todas as normas internacionais.estamos habituados vemos tanto o crescimento de lojas de bairro (dentro do conceito express) quanto o  dos “atacarejos” (conceito cash & carry, ou pague e leve). Grandes redes de supermercados passaram a investir fortemente nessa modalidade nos últimos anos, abrindo centenas de lojas com marcas como Minuto Pão-de-Açúcar, Dia %, Carrefour Express, Todo Dia, Minimercado Extra, Compre Bem e outras.

3- Busca pela máxima redução no consumo de energia elétrica. Principalmente por causa do aumento no preço da energia nos últimos anos, todas as redes, das grandes às pequenas, têm dado uma atenção especial ao tema. A grande mudança que resultou dessa preocupação foi a introdução de portas nos expositores, balcões e ilhas. Conservar melhor o frio nos sistemas tem se mostrado a melhor forma de reduzir o consumo de energia. A ideia de que portas nos equipamentos poderiam reduzir as vendas no estabelecimento já foi superada. Para a refrigeração, isso impacta em uma menor necessidade de carga térmica e os sistemas incorporados têm ganhado espaço em virtude dessa nova realidade.Outra mudança ligada à redução no consumo de energia é o uso cada vez maior de soluções que modulam a capacidade dos sistemas de refrigeração. É o caso dos inversores de frequência e dos controles de capacidade, sendo estes últimos amplamente utilizados em compressores semi-herméticos.

Fonte: Clube da Refrigeração

Optyma Semi-Hermética é dedicada para aplicação em supermercados grandes centros de distribuição, indústrias alimentícias e demais segmentos que necessitam de alto índice de congelamento | Foto: Divulgação

A Danfoss acaba de apresentar ao mercado sua nova unidade condensadora Optyma Semi-Hermética, dedicada para aplicação em supermercados, grandes centros de distribuição, indústrias alimentícias e demais segmentos que necessitam de alto índice de congelamento.

Dotada de trocador de calor microcanal e equipada com os novos compressores GEA Bock de alta eficiência, a máquina possui duas versões: com gerenciamento e sem gerenciamento do óleo.

Leves e compactas, as unidades são de fácil manuseio e transporte, informa o fabricante, destacando que seu design simples e compacto permite que itens vitais, como o compressor, a caixa elétrica e o trocador de calor, sejam reparados de forma simples e rápida, uma vez que não possuem obstrução física entre os componentes.

As unidades são concebidas de forma padronizada com os seguintes dispositivos: condensador microcanal, tanque de líquido, filtro secador, visor de líquido, caixa elétrica, válvulas de sucção e líquido, pressostato, cartucho na descarga e ajustável na sucção e estrutura de tubulação em cobre com antivibração, evitando que a vibração seja transmitida ao sistema, principalmente ao trocador de calor.

As unidades condensadoras Optyma Semi-Hermética abrangem ampla faixa de aplicações em temperaturas médias e baixas, utilizando os refrigerantes R-404A/R-507 e R-22.

“O espaço de armazenamento e os custos são reduzidos, graças às características de montagem em pilhas e baixa complexidade de códigos de produto, facilitando, assim, uma rápida seleção e alta disponibilidade dos produtos e de peças de reposição”, revela o comunicado distribuído à imprensa.

Segundo a Danfoss, as unidades Optyma Semi-Herméticas foram projetadas para operarem de 5°C a -40°C, proporcionando alta performance em ambientes exigentes. A solução fornece condições estáveis de operação, garantindo sistemas de refrigeração eficientes, o que é fundamental para obter a melhor conservação do alimento.

A novidade da Danfoss pode ser instalada até mesmo a uma distância de até 40 m do evaporador, sem a necessidade de elementos de controle adicionais, devido ao tanque de líquido superdimensionado.

O descarte inadequado de refrigeradores e compressores pode desencadear uma série de problemas. O principal deles é a contaminação do meio ambiente com substâncias nocivas como metais pesados, fluidos e gases altamente prejudiciais à animais, plantas e a saúde humana.

Acabou-se o tempo em que eles eram abandonados em qualquer lugar. Hoje em dia existem diversas formas seguras de encaminhar a um destino adequado, e até produtivo. Vejamos algumas a seguir.

Por que fazer o descarte correto?
Os gases contidos no compressor são tóxicos, como o clorofluorcarboneto (CFC), que é responsável pela diminuição da camada de ozônio, além do óleo contido no compressor, que se não separado adequadamente pode atingir a rede pluvial e poluir o meio ambiente.

Segundo Clodoaldo Delfino, gerente de manufatura da Nat.Genius, empresa de reciclagem inteligente de resíduos, um refrigerador é formado por mais de 600 itens. Além de poupar o meio ambiente, o descarte correto pode gerar valor econômico, já que mais de 95% desses itens podem ser reciclados e voltar para a indústria como insumos.

O que fazer com o compressor que ainda tem gás refrigerante dentro?
É preciso garantir que todos os passadores do compressor estejam lacrados, evitando assim que o gás refrigerante seja expelido para a atmosfera. Há maneiras seguras de recolher os fluidos refrigerantes, você pode saber mais nessa matéria.

Como fazer o descarte correto de compressor
Ao remover o compressor do refrigerador, os passadores devem estar lacrados, para evitar o derramamento de óleo durante o transporte. Isso precisa ser feito por profissionais, como refrigeristas ou empresas especializadas. Em seguida, é necessário encaminhar o compressor obsoleto para o fabricante via o distribuidor. A Embraco por exemplo possui processos padronizados, seguros e ambientalmente corretos para o descarte do mesmo.

Como fazer o descarte correto de refrigerador
Em muitas cidades, geladeiras e freezers (em bom estado) são aceitos em negociações para compra de novos itens, nas grandes empresas varejistas de eletrodomésticos.

Em caso de aparelhos que não estão mais funcionando, o indicado é entrar em contato com alguma empresa local de recolhimento de resíduos, ou até mesmo encaminhar aparelhos e peças para uma empresa que faça a reciclagem de refrigeradores. Nesses locais, os componentes recicláveis são recuperados e transformados em novos produtos. Os demais componentes e peças são desmontados e os materiais reciclados.

Os poucos resíduos inutilizáveis, são então encaminhados à destinação final de resíduos, conforme ABNT 15833 (clique aqui para saber mais).

Acompanhe o Clube para se manter informado sobre o mercado de refrigeração, boas práticas e dicas úteis para sua rotina profissional.

Fonte: Clube da Refrigeração

Com a retração econômica do nosso país e com o aumento frequente da conta de energia elétrica, economizar se tornou uma das prioridades para a população.

O alto consumo de energia de um refrigerador pode ser um vilão para as despesas. Por isso, é sempre importante que a manutenção dos aparelhos esteja em dia, evitando gastos desnecessários. As causas para que o refrigerador tenha um alto consumo de energia são muitas. Abaixo, listamos os possíveis problemas e as medidas como solução, que podem ser executadas por um refrigerista.

Fatores que geram alto consumo de energia:

  • Tensão muito alta

Para eliminar os problemas de tensões superiores a 132V (nominal 115V) e 240V (nominal 220V) recomendamos o uso de um estabilizador de tensão.

  • Ligação errada na caixa de conexões

Verifique as ligações com auxílio do esquema elétrico do refrigerador.

  • Lâmpada interna não apaga

Verifique se o interruptor da lâmpada apresenta algum problema como mau contato ou fixação incorreta.

  • Termostato não desliga

Confira se a fixação do bulbo do termostato está correta. Gire o botão do termostato para o ponto mínimo (menos frio) e

verifique se o compressor desliga. Se o problema continuar, substitua o termostato.

  • Termostato regulado na posição máxima (mais fria)

Gire o botão do termostato para o ponto mínimo (menos frio) e verifique se o compressor desliga dentro da faixa de uso. Regule o termostato e instrua o usuário quanto à utilização correta.

  • Termostato com bulbo solto

Fixe corretamente o bulbo do termostato.

  • Termostato inadequado

Averigue se o modelo do termostato utilizado é o indicado pelo fabricante. Se necessário, consulte o fabricante do sistema de refrigeração.

  • Compressor com alta amperagem (corrente elevada)

Só podemos considerar alta amperagem se o protetor térmico estiver atuando. Se você não estiver seguro de que esse é o defeito, confira se o compressor pode ter outros problemas. Se necessário, troque-o.

  • Condensador sujo, coberto ou com falta de circulação de ar

Limpe o condensador e desobstrua as passagens de ar. Essa dica é muito válida para equipamentos comerciais.

  • Má vedação da porta

Averigue se a porta está mal ajustada ou se a gaxeta (borracha de vedação da porta) está danificada ou descolada. Ajuste a porta e/ou troque a gaxeta.

  • Localização do refrigerador inadequada

O sistema de refrigeração não deve ficar perto de fogões, paredes expostas ao sol e locais sem ventilação. Sob as condições citadas, o sistema de refrigeração perde rendimento.

  • Refrigerador sem bandeja divisória do congelador

Confira se a bandeja divisória está sendo utilizada e se está instalada corretamente.

  • Refrigerador utilizado em demasia

Instrua o usuário para evitar a abertura da porta com muita frequência.

  • Encharcamento do isolamento (lã de vidro)

Localize o ponto de passagem da umidade e corrija.

  • Deterioração ou falta de isolamento térmico

Localize e substitua ou complete o isolamento térmico.

  • Excesso de carga de fluido refrigerante no refrigerador

Verifique se há sudação na linha de retorno do refrigerador. Se houver, coloque a carga de fluido refrigerante correta, de preferência utilizando uma balança de precisão.

  • Falta de fluido refrigerante

Geralmente se forma uma camada irregular de gelo no evaporador. Coloque uma nova carga de fluido refrigerante.

  • Compressor inadequado ao sistema

Consulte a tabela de aplicação de compressores Embraco. Troque pelo modelo adequado.

  • Compressor com baixa capacidade

Esse é um defeito raro, contudo pode ter ocorrido um problema. Repasse as outras possíveis causas de defeitos em compressores. Não sendo nenhuma deles, troque por um compressor adequado.

Fonte: Clube da Refrigeração – Embraco

Além de proporcionar redução de custos, existem benefícios em termos de imagem, que contribuem para a sua diferenciação no mercado.

Adotar práticas sustentáveis é bom para o planeta, mas também traz vantagens para profissionais e empresas: reduzir custos, melhorar a sua imagem e atrair mais clientes.

No dia a dia do refrigerista, há inúmeras oportunidades para isso. Por exemplo: no uso de materiais, nos cuidados com o descarte dos fluidos refrigerantes, na eliminação de vazamentos  e em muitas outras ações e posturas. 

Porém, há diversas outras possibilidades para usar de maneira mais eficiente os recursos e eliminar desperdícios, seja na oficina, loja ou residência.  Veja a seguir algumas dicas relacionadas ao uso de energia elétrica:

  • Prefira sempre a iluminação natural. Deixe a luz do sol entrar;
  • Pinte as paredes com cores claras. Além de melhorar a luminosidade, deixam o ambiente mais fresco, evitando gastos com ar condicionado;
  • Compre e utilize equipamentos que consumam menos energia;
  • Desligue o monitor do computador quando não estiver usando;
  • Troque lâmpadas comuns por lâmpadas fluorescentes ou de LED.

Com medidas simples, também é possível obter economias significativas no consumo de água:

  •  Fique atento a vazamentos de água e conserte-os rapidamente;
  • Instale torneiras de baixo consumo de água, como as automáticas, ou use arejadores para reduzir a vazão;
  • Troque descargas com válvulas por modelos com caixa acoplada;
  • Varra pisos e calçadas, em lugar de lavá-los com a mangueira;
  • Reutilize a água sempre que possível.

Diversas outras práticas ligadas ao transporte e à economia de combustível podem ser pesquisadas por você, como organizar um roteiro de entregas, por exemplo, ou fazer reuniões via internet. O mesmo vale para o uso e a reciclagem de materiais. Tudo isso diminui gastos e evita desperdícios, o que se reflete diretamente em melhores resultados para o seu negócio. A sustentabilidade pode e deve estar associada ao aumento da rentabilidade!

Fonte: Clube da Refrigeração

Informação de Produto

Opteon™ XP40 (R-449A) é um fluido refrigerante à base de hidrofluorolefinas (HFO) que não degrada a camada de ozônio e com baixo potencial de aquecimento global (GWP), possui ótimo equilíbrio de propriedades para substituir o R-404A/R-507, R-22 e a família R-407 em equipamentos com deslocamento positivo, expansão direta, para baixa e média temperatura, em aplicações comerciais e industriais.

Opteon™ XP40 é adequado para novas instalações, assim como para Retrofit de sistemas já existentes, oferecendo melhorias na eficiência energética e propriedades ambientais.

Aplicações

Refrigeração com expansão direta para baixa e média temperatura em aplicações comerciais e industriais.

  • Supermercados:
    – Sistemas de rack centralizado;
    – Sistemas distribuídos;
    – Freezers, salas de preparação, etc.
  • Expositores de alimentos;
  • Câmara frigorífica;
  • Sistemas independentes;
  • Equipamentos novos / Opção para Retrofit.

Benefícios

  • Baixo GWP: Redução de 67%1 em relação ao R-404A / R-507;
  • Consumo energético 3-12% menor em comparação ao R-404A / R-507;
  • Seguro e não inflamável (ASHRAE2 A1);
  • Aprovado pelos principais fabricantes de componentes e equipamentos;
  • Testado em campo sem modificações em equipamentos, lubrificantes, vedação (podem ser necessários ajustes no superaquecimento);
  • Alternativa de substituição para família R-407 em baixa e média temperatura (capacidade equivalente);
  • Compatível com projetos e lubrificantes já existentes nos equipamentos;
  • Pode ser recarregado após vazamentos.

Desempenho esperado após o Retrofit

Os dados abaixo foram obtidos de uma unidade de condensação convertida de R-404A para Opteon™ XP40 com ajustes
realizados apenas na válvula de expansão térmica (1,5 voltas fechadas), durante a operação de baixa e média temperatura,
em duas condições ambientais, de acordo com a norma ASHRAE 72-20053.


+ é um aumento, – é uma diminuição em relação ao R-404A
(1) De acordo com AR5 – Quinto Relatório de Avaliação do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas.
(2) Associação Americana dos Engenheiros de Aquecimento, Refrigeração e Ar-Condicionado.
(3) O desempenho real para um sistema específico depende de inúmeros fatores, incluindo as condições do equipamento e ambiente de funcionamento.

A transição dos refrigerantes está se acelerando e as associações de HVAC-R estão pressionando a indústria para se afastar do R404A.

A transição dos refrigerantes está se acelerando e as associações de HVAC-R estão pressionando a indústria para se afastar do R404A. Para ajudar os clientes a manter o ritmo, a Danfoss lançou muitos tipos de produtos para as principais alternativas de refrigerante de baixo GWP – como R448A, R449A e R452A – e continua atualizando mensalmente o Coolselector®.

A multinacional dinamarquesa incentiva os profissionais de refrigeração comercial a não atrasarem mais a mudança para baixo GWP e os apoia a cada passo. A incerteza sobre a seleção de refrigerante e o suprimento futuro, bem como os mal-entendidos sobre a adequação dos componentes, poderiam estar impedindo que alguns adquirissem as habilidades e os conhecimentos necessários para lidar com novos refrigerantes com confiança.

A Danfoss está publicando uma série de recursos online para ajudar na seleção, instalação e adaptação, e se comprometeu a continuar o desenvolvimento de componentes qualificados e compatíveis com os novos refrigerantes promissores à medida que surgirem. Também está introduzindo um número crescente de unidades multi-refrigerantes para dar a máxima flexibilidade agora e no futuro.

Para aplicações de refrigeração comercial de pequeno e médio porte, como câmaras frigoríficas, R448A, R449A e R452A são alternativas excelentes ao R404A, em complemento ao R407 A/F. Dada a curta duração e custo do R404A, a transição para refrigerantes alternativos com um nível de GWP mais baixo é um passo lógico a ser seguido agora.

As soluções estão disponíveis hoje para todas as partes dos sistemas de refrigeração com compressores, unidades de condensação, trocadores de calor, válvulas de expansão elétrica e termostática, válvulas solenoides, controles, controladores eletrônicos e outros componentes de linha – para aplicações de baixa ou média temperatura. Lançamentos recentes incluem válvulas EVR v2, TE5-55, TU, compressores scroll e alternativos MLZ, VLZ e MTZ, e as unidades condensadoras Optyma ™ com R448A, R449A e R452A. O plano de qualificação engloba o R513A e o R450A* como alternativas complementares de refrigerante ao R134a, uma vez que oferece desempenho semelhante.

Para aplicações independentes normalmente usadas em food service, as soluções de longo prazo são atraídas para refrigerantes naturais. Para aplicações com uma carga de refrigerante inferior a 150 g, a Danfoss oferece uma ampla gama de componentes adequados para vários refrigerantes A3*, como R290 e R600a. Em complemento ao R404A, o R513A é uma boa opção quando a limitação de carga é superior a 150g, ou quando o refrigerante de classe A3* não é aplicável.

Cool Tools – Para ajudar a identificar componentes adequados para novos refrigerantes, a melhor opção é o Coolselector® 2. O software da Danfoss pode fazer sugestões, permitindo que os usuários selecionem os componentes mais adequados com base em vários parâmetros, como capacidade de refrigeração, refrigerante, evaporação e temperatura de condensação, além de muitas outras variáveis críticas de sistemas comuns de refrigeração. Além de uma série de refrigerantes, o Coolselector® 2 também suporta cálculos para vários sistemas de refrigeração e seleção de componentes para câmaras frigoríficas.

O software de seleção da Danfoss trabalha de mãos dadas com a ferramenta Low-GWP e o aplicativo Refrigerant Slider, permitindo que os clientes identifiquem facilmente os componentes certos para refrigerantes alternativos de acordo com suas propriedades termodinâmicas específicas.

*dependendo dos modelos

Fonte: Danfoss

Equipamento promete o melhor Índice de Desempenho de Energia Sazonal (SEPR) do mercado para aplicações de refrigeração de média temperatura | Foto: Divulgação

As demandas de ordem ambiental têm pressionado a indústria de refrigeração e ar condicionado a se afastar de compostos de alto impacto climático, como o hidrofluorcarbono (HFC) R-404A.

Para ajudar seus clientes, a Danfoss lançou muitos tipos de produtos para as principais alternativas de baixo potencial de aquecimento global (GWP) disponíveis no mercado, incluindo o R-449A, um fluido refrigerante à base de hidrofluorolefina (HFO) comercializado pela Chemours como Opteon XP40.

Por essa razão, a multinacional dinamarquesa incentiva os profissionais do setor a não adiarem essa transição tecnológica. A incerteza sobre a seleção de refrigerante e o suprimento futuro, bem como os mal-entendidos sobre a adequação dos componentes, poderiam impedir que alguns adquirissem as habilidades e os conhecimentos necessários para lidar com novos refrigerantes com confiança.

Entretanto, a Danfoss vem publicando uma série de recursos online para ajudar na seleção, instalação e adaptação, e se comprometeu a continuar o desenvolvimento de componentes qualificados e compatíveis com os novos refrigerantes promissores à medida que surgirem.

A empresa também está introduzindo um número crescente de unidades multi-refrigerantes para dar a máxima flexibilidade agora e no futuro.

Lançamentos recentes incluem as válvulas EVR v2, TE5-55, TU, os compressores scroll e alternativos MLZ, VLZ e MTZ, e as unidades condensadoras Optyma compatíveis com Opteon XP40 e outras HFOs.

Equipadas com o compressor de velocidade variável VLZ e o drive CDS-803, essas condensadoras prometem o melhor Índice de Desempenho de Energia Sazonal (SEPR) do mercado para aplicações de refrigeração de média temperatura.

O plano de qualificação da marca também engloba o Opteon XP10 (R-513A) como alternativa ao R-134a, uma vez que a nova substância à base de HFO desenvolvida pela Chemours oferece desempenho semelhante ao do HFC.

Para aplicações independentes normalmente usadas em food service, a companhia aposta nos hidrocarbonetos inflamáveis. Por isso, para aplicações com uma carga de refrigerante inferior a 150 g, a Danfoss oferece uma ampla gama de componentes adequados às substâncias da classe de segurança A3, como o R-290 e R-600a.

“Em complemento ao R-404A, o R-513A é uma boa opção quando a limitação de carga é superior a 150 g, ou quando o refrigerante de classe A3 não é aplicável”, ressalta a empresa.

Cool Tools

Para ajudar a identificar componentes adequados para novos refrigerantes, a melhor opção é o Coolselector 2, informa a companhia.

O software da Danfoss pode fazer sugestões, permitindo que os usuários selecionem os componentes mais adequados com base em vários parâmetros, como capacidade de refrigeração, refrigerante, evaporação e temperatura de condensação, além de muitas outras variáveis críticas de sistemas comuns de refrigeração.

Além de uma série de refrigerantes, o Coolselector 2 também suporta cálculos para vários sistemas de refrigeração e seleção de componentes para câmaras frigoríficas.

O software de seleção da Danfoss trabalha em conjunto com a ferramenta Low-GWP e o aplicativo Refrigerant Slider, permitindo que os clientes identifiquem facilmente os componentes certos para refrigerantes alternativos de acordo com suas propriedades termodinâmicas específicas.

Fonte: Blog do Frio