Nos próximos 30 anos, 19 aparelhos de refrigeração e ar condicionado serão instalados a cada segundo, prevê estudo britânico | Foto: Nando Costa/Pauta Fotográfica

O número de aparelhos de refrigeração e ar condicionado deve quadruplicar – de 3,6 bilhões para 14 bilhões – nos próximos 30 anos, estima um relatório da Universidade de Birmingham, no Reino Unido, salientando que a crescente demanda por equipamentos do gênero pode fazer com que o consumo mundial de energia seja cinco vezes maior até 2050.

Este novo estudo, intitulado A Cool World – Defining the Energy Conundrum (Um Mundo Fresco – Resolvendo o Dilema Energético, em tradução livre), tem a intenção de fornecer, pela primeira vez, uma indicação da escala das implicações energéticas de um cenário chamado de Refrigeração para Todos (Cooling for All, em inglês) pelos pesquisadores.

“Como sabemos, a refrigeração eficaz é essencial para preservar alimentos e remédios. Ela sustenta a indústria e o crescimento econômico, e é fundamental para a urbanização sustentável, além de fornecer uma via de escape da pobreza rural”, destaca o comunicado distribuído à imprensa.

Uma vez que áreas consideráveis do planeta devem sofrer aumentos de temperatura além do que o ser humano pode suportar, os sistemas de refrigeração e climatização tornarão o mundo cada vez mais tolerável – ou até seguro – para se viver.

“Milhões de pessoas morrem todos os anos por falta de acesso a tecnologias de refrigeração, seja por perdas de alimentos, vacinas estragadas ou impacto do calor severo”, lembra a chefe da organização não governamental Energia Sustentável para Todos (SEforALL, em inglês), Rachel Kyte.

Nos países em desenvolvimento, até 50% dos alimentos chegam a ser perdidos após a colheita, em função da ausência de sistemas de armazenagem e transporte frigorificados. Segundo cálculos da Organização Mundial de Saúde (OMS), 25% das vacinas líquidas são desperdiçadas anualmente, principalmente devido à quebra da cadeia do frio.

Responsável pelo objetivo das Nações Unidas de fornecer energia sustentável a todas as pessoas até 2030, Kyte salienta que “refrigeração para todos” não significa “colocar um ar-condicionado em todas as casas”, mas que são necessários “esforços urgentes para esclarecer as necessidades de refrigeração e desenvolver e testar novas soluções”.

Anualmente, as ondas de calor matam cerca de 12 mil pessoas em todo o mundo. Até 2050, as mortes ocasionadas por esse tipo de desastre climático poderão atingir 260 mil pessoas por ano, a menos que os governos – principalmente as cidades – se adaptem a essa ameaça agravada pelo aquecimento global, informa a OMS.

Produtividade e conforto térmico também estão inter-relacionados. Até 2050, projeta-se que as perdas de horas de trabalho em alguns países cheguem a 12% nas regiões mais afetadas da África subsaariana e da Ásia.

Metas climáticas

O estudo da universidade britânica afirma que, até 2050, se quisermos atingir as metas climáticas estipuladas no Acordo de Paris para limitar o aumento da temperatura global ao máximo de 2 ºC em relação aos níveis da era pré-industrial, o consumo total de energia para climatização e refrigeração deve ser limitado a 6,3 mil terawatts-hora (TWh) por ano.

Sem novas medidas além das capacidades tecnológicas atuais e ganhos de eficiência, o setor poderia responder por 19,6 mil TWh de consumo de energia por ano, frente ao gasto anual atual de 3,6 mil TWh. Mesmo com o advento de novas tecnologias, a necessidade anual de energia ainda seria de pelo menos 15,5 mil TWh.

“Se quisermos cumprir as metas climáticas é necessária uma nova visão sobre a refrigeração, reaproveitando o calor e o frio residuais e incorporando novas tecnologias e conectividade de dados, assim como o armazenamento de energia térmica, a fim de atender à demanda de modo mais eficiente”, revela o estudo.

“As projeções atuais [sobre o consumo de energia]não consideram um cenário de ‘Refrigeração para Todos’ e, assim, será impossível atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável [ODS] da ONU, bem como metas do Acordo de Paris. Se quisermos atender a uma dessas duas exigências, depender apenas da eficiência tecnológica e de energia limpa não será suficiente”, reforça o professor Toby Peters, um dos principais autores do relatório.

Peters também alerta que a principal pergunta que devemos nos fazer não é quanta energia precisamos gerar, mas sim que tipo de serviço precisamos e como podemos fornecê-lo da maneira menos nociva ao meio ambiente.

Além de outras possíveis medidas interessantes, o estudo sugere criar um modelo para fornecer refrigeração acessível para as comunidades rurais e urbanas com base nas necessidades locais, em vez de impor uma abordagem universal de “tamanho único”, por exemplo.

Fonte: Blog do frio

Relatório pesquisou 52 países e listou nove que enfrentarão maiores dificuldades

OSLO (Reuters) – Mais de um bilhão de pessoas estão ameaçadas pela falta de ar condicionado e refrigeração para refrescá-las e preservar alimentos e remédios, à medida que o aquecimento global provoca temperaturas mais elevadas, mostrou um estudo nesta segunda-feira (16).

A demanda maior de eletricidade para geladeiras, ventiladores e outros aparelhos vai agravar a mudança climática provocada pelo homem, a menos que os geradores de energia troquem os combustíveis fósseis por energias mais limpas, segundo o relatório do grupo sem fins lucrativos Sustainable Energy for All.

Cerca de 1,1 bilhão de pessoas da Ásia, África e América Latina –470 milhões em áreas rurais e 630 milhões de moradores de favelas nas cidades– correm riscos em meio aos 7,6 bilhões de habitantes do planeta, segundo o estudo.

“A refrigeração se torna cada vez mais importante” por causa da mudança climática, disse Rachel Kyte, chefe do grupo e representante especial do secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) para a Energia Sustentável para Todos, à Reuters.

Em uma pesquisa de 52 países, os mais ameaçados incluíram Índia, China, Moçambique, Sudão, Nigéria, Brasil, Paquistão, Indonésia e Bangladesh, de acordo com o relatório.

“Temos que proporcionar refrigeração de uma maneira super eficiente”, disse Rachel. As empresas podem encontrar grandes mercados, por exemplo desenvolvendo aparelhos de ar condicionado de baixo custo e alta eficiência para vender para as classes médias crescentes de países tropicais.

E soluções mais simples, como pintar telhados de branco para que reflitam a luz do sol e reprojetar edifícios para que permitam a liberação do calor, também ajudariam.

A agência de saúde da ONU diz que o calor ligado à mudança climática deve causar 38 mil mortes adicionais por ano em todo o mundo entre 2030 e 2050. Em maio, durante uma onda de calor, mais de 60 pessoas morreram em Karachi, no Paquistão, quando as temperaturas ultrapassaram os 40 graus Celsius.

Em áreas remotas de países tropicais, muitas pessoas não têm eletricidade e as clínicas muitas vezes não conseguem armazenas vacinas e medicamentos que precisam ser refrigerados, segundo o estudo, e em favelas o fornecimento de energia muitas vezes é intermitente.

Além disso, muitos agricultores e pescadores não têm acesso a uma “cadeia fria” para preservar e transportar produtos para os mercados. Peixes frescos estragam em questão de horas se foram guardados a 30 graus Celsius, mas se mantém comestíveis por dias quando resfriados.

Fonte: Reuters – Alister Doyle

 

 

Kim Fausing, presidente e CEO da Danfoss | Foto: Divulgação

A Danfoss elevou sua participação total para 46% na Leanheat, uma empresa privada que desenvolve e fornece soluções turnkey IoT que atualizam os sistemas HVAC para a era digital.

Em 2016, a companhia dinamarquesa havia adquirido inicialmente uma participação de 23%. Sob o acordo inicial, a Danfoss e a Leanheat se conpacto da mudança climática.

centraram na construção de uma forte oferta combinada que ajudará a ampliar as atividades mútuas na otimização e no gerenciamento de energia em edifícios em todos os mercados e clientes.

Os edifícios representam cerca de 40% do consumo total de energia na Europa e precisam ser incluídos como parte da mitigação do im

Com a Europa revisando sua legislação para acelerar a renovação de edifícios e aumentar o desempenho do sistema de energia, a Danfoss e a Leanheat podem ajudar os proprietários de edifícios a obter a tão necessária economia de energia, destaca o comunicado distribuído à imprensa.

“Com 70% da população mundial vivendo nas cidades até 2050, precisamos conciliar a tendência de urbanização com a mitigação das mudanças climáticas”, afirma Lars Tveen, presidente da Danfoss Heating.

“A Leanheat, com sua experiência inigualável no desenvolvimento de otimização e gerenciamento de energia, provou ser uma excelente combinação para a Danfoss, permitindo que aproveitemos as oportunidades de crescimento que ocorrem no mercado”, acrescenta o presidente e CEO da Danfoss, Kim Fausing.

“Nossa base instalada está crescendo rapidamente e estamos ansiosos para fortalecer nossa parceria com a Danfoss e expandir ainda mais nossos negócios”, salienta Jukka Aho, CEO da Leanheat.

As partes não divulgaram o preço de compra ou outras condições da transação.

Fonte: Blog do Frio

O CO2 é muitas vezes considerado o “grande problema” quando se trata de mudanças climáticas. Embora em alguns aspectos seja um perigo, em outras situações pode ser a resposta. De fato, quando usado como refrigerante, o CO2 pode fazer uma grande diferença quando se trata de manter as pessoas, os produtos e o nosso planeta climatizados.

 

Como um refrigerante, o COtem o potencial de aquecimento global (GWP) mais baixo possível com classificação 1, causa zero  de esgotamento de ozônio, não é tóxico e não é inflamável. Isso significa que as pessoas e os produtos podem ser resfriados com segurança sem afetar negativamente o clima do planeta. Também é excepcionalmente versátil e pode ser usado em diferentes aplicações de refrigeração, incluindo aplicações comerciais, industriais e de transporte.

Com a nova Solução Multi Ejector™ da Danfoss, o CO2 torna-se um recurso importante à indústria de refrigeração e ao restante do mundo. Quando equipados com a Solução Multi Ejector™, os sistemas com CO2 podem permitir que superem os tradicionais de HFC em termos de eficiência energética em todos as zonas climáticas, ao mesmo tempo em que reduzem o impacto no meio ambiente.

 

A Solução Multi Ejector™ é o que torna possível o uso de CO2 como refrigerante em sistemas de refrigeração transcrítica e consiste em dois produtos: o Ejector e o controlador AK-PC 782A. Ao unir os dois grandes produtos em uma solução, os profissionais de todo o mundo agora têm a chance de colher os inúmeros benefícios do uso de CO2 como refrigerante.

 

O uso de CO2 como refrigerante foi previamente limitado a regiões mais frias ou exigia sistemas complexos e caros. Com a Solução Multi Ejector™, o CO2 está se tornando uma solução verdadeiramente global. Agora mesmo as regiões mais quentes, como Oriente Médio, América do Sul e América Latina, Austrália e Ásia, podem aproveitar todos os benefícios que o CO2 tem para oferecer. Isso inclui um potencial de economia de energia valioso – até 18% ao ano em comparação com o sistema booster de COtranscrítico.

 

“O CO2 tem um futuro brilhante como refrigerante em nossa indústria. É natural e amigo do meio ambiente, com praticamente nenhum impacto climático direto quando usado como refrigerante. A Solução Multi Ejector™ da Danfoss facilita a obtenção de todos os benefícios do uso de CO2. Permite economizar energia em todos os climas, reduzir a complexidade da plataforma de refrigeração e reduzir a pegada de carbono do sistema”, diz Daniel Marcucci, gerente de vendas da Danfoss.

A Danfoss oferece algumas oportunidades para clientes, parceiros de negócios e público aprenderem mais sobre o CO2. A unidade móvel de treinamento de CO2 está em uma turnê mundial, oferecendo treinamento e certificação para profissionais da indústria. A empresa também tem aulas online gratuitas sobre teoria, uso e segurança do CO2 no Danfoss Learning, portal de educação digital.

 

Saiba mais sobre a Solução Multi Ejector™ no www.multiejectorsolution.danfoss.com e confira o vídeo “We Love CO2” no YouTube.

Fonte: http://www.danfoss.com.br/newsstories/cf/multi-ejector/#/

A Jetservice, Green Point São Paulo, esteve presente na BITZER GREEN POINT CONFERENCE BEIJING 2018. O evento que acontece a cada dois anos tem como objetivo alinhar os métodos e a estratégia de todos os Green Point Bitzer do mundo. A necessidade de tal empreitada são as constantes mudanças nas tendências do mercado de refrigeração a nível global, principalmente influenciadas pelo desenvolvimento sustentável.

O evento contou com a participação de mais de 20 nacionalidades dos principais mercados do mundo. A troca de experiência entre os participantes de diferente regiões é um dos pontos mais relevantes da conferência.

Nossa empresa teve a oportunidade de se apresentar como uma oficina Green Point Master autorizada da Bitzer Brasil. Nós apresentamos nosso comprometimento com o mercado de serviços, principalmente no nosso principal foco que é a remanufatura de compressores, já que temos os mesmos equipamentos de teste utilizados na Europa e na Ásia e por isso um nível de qualidade sem igual no mercado sulamericano.

A Bitzer Green Point Conference Beijing 2018 nos possibilitou estarmos um passo à frente das tendências e de nos estruturar para um mundo cada vez mais focado no desenvolvimento sustentável.

Linha de fluidos refrigerantes com baixo GWP

 

A indústria da refrigeração está em constante desenvolvimento para descobrir soluções que minimizem o impacto ambiental e aumentem a performance de seus produtos, com isso, a Chemours apresenta a sua mais recente inovação em fluidos refrigerantes ambientalmente aceitos, trazendo o equilíbrio ideal entre desempenho, sustentabilidade, segurança e custo-benefício para aplicações em refrigeração e climatização.

A linha Opteon™ apresenta em seu portfólio soluções sustentáveis e de baixo Potencial de Aquecimento Global (GWP) com ótima performance. Veja mais sobre os produtos da linha:

Opteon™ XP10 (R-513A) – Refrigeração Comercial

Opteon™ XP30 (R-514A) – Refrigeração Comercial e Industrial

Opteon™ XP40 (R-449A) – Refrigeração Comercial

Opteon™ XP44 (R-452A) – Refrigeração Comercial

Opteon™ YF (HFO-1234yf) – A/C Automotivo

Opteon™ SF79 – Agente de Limpeza

Opteon™ 1100 (HFO-1336mzz-Z) – Agente Expansor de Espuma

Consulte nossa página Global:

www.opteon.com


Fonte: https://www.chemours.com/Refrigerants/pt_BR/products/Opteon/index.html

Aqui na Jetfrio você encontra produtos de qualidade.

 

Linha de produtos Springer

  • Placa Eletrônica
  • Moto Ventilador
  • Turbina
  • Controle Remoto
  • Botão
  • Frente Plástica
  • Grelha
  • Filtro
  • Hélice
  • Capacitor
  • Serpentina Evaporadora
  • Serpentina Condensadora

Nossa equipe está aguardando sua ligação!

Stefanie Spanagel (39) começará como Diretora-Gerente da EBM-Papst Landshut GmbH, uma subsidiária do Grupo Mulfinger EBM-PAP, em vigor a partir de 01 de julho de 2018. Com ela, o especialista em ventiladores e motores ganha um gerente experiente internacionalmente para a continuação bem-sucedida de sua localização.

Stefanie Spanagel vem do fornecedor de engenharia automotiva e mecânica AMK, baseado em Kirchheim unter Teck. Mais recentemente, ela foi chefe de operações das instalações de produção mundiais da empresa. Anteriormente, a pós-graduação de negócios com licenciatura em Reutlingen e Paris a partir de 2005, em especialista filtro Ludwigsburg Mann + Hummel GmbH em vários cargos de gestão, entre outras coisas, trabalhou como gerente da fábrica.

Stefan Brandl, CEO: “Estamos muito felizes por termos conquistado Stefanie Spanagel para o EBM-Pope Landshut. Ela é uma gerente internacionalmente experiente e desenvolverá com sucesso nossa localização na Bavária. ”

Como diretora administrativa, Stefanie Spanagel será responsável pela produção, finanças e recursos humanos. Stefan Brandl, CEO do Grupo EBM-Papst, continuará a fazer parte da equipe de gerenciamento em Landshut até a conclusão da dupla liderança planejada.

Ebm-papst

Fonte: https://www.produktion.de/nachrichten/personen/stefanie-spanagel-leitet-jetzt-ebm-papst-landshut-208.html

 

 

A JetFrio irá participar com sua stand no evento Hortitec.

A Hortitec surgiu do ideal de um grupo de empresários, que sentia a necessidade de ter no Brasil um evento nos moldes das principais exposições no exterior, onde os participantes pudessem ter contato com empresas expositoras, conhecendo as necessidades do setor e realizando negócios.

Nossa localização na exposição:

Estande: Setor Azul – 10